07/01/2008 - 12:50
POLÍCIA CIVIL
Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos prende estelionatários e recupera tratores


LUCIENE OLIVEIRA

Assessoria/PJC-MT

Três pessoas suspeitas de estelionato foram autuadas em flagrante no sábado (05.01), pela Delegacia de Repressão a Roubo e Furtos de Veículos (DRFVA). Lacerlan Medeiros de Oliveira, 25, Abraão Gomes Bezerra Neto, 25, e Deolindo Leopoldino da Fonseca, 35, foram presos acusados de estelionato.

Há 15 dias um agricultor do município de Rosário Oeste (128 km ao Norte) vendeu um trator para os acusados pelo valor de R$ 35 mil. Os supostos compradores pagaram em cheque pré-datado para o dia 10 de janeiro. O agricultor ao tentar descontar o cheque, antecipamente, descobriu no banco que a folha de cheque era furtada.

A vítima na tentativa de recuperar o prejuízo registrou boletim de ocorrência na delegacia municipal de Rosário Oeste. Dias depois o agricultor foi novamente procurado pelos estelionatários que queriam comprar mais uma máquina. Desta vez, o agricultor vendeu um trator de esteira pelo valor de R$ 40 mil e em seguida comunicou a polícia.

O pagamento foi efetuado em dois cheques pré-datado, um de R$ 30 e outro R$ 10 mil e entregues ao agricultor pelo motorista contratado para levar máquina até Várzea Grande.

Para descobrir a identidade dos compradores, a Polícia Civil monitorou todo o trajeto do transporte do trator, que foi deixado em uma oficina localizada em Várzea Grande, para ser pintado. Na oficina, policiais da DRFVA, aguardavam os compradores. A espera foi encerrada no sábado, por volta das 15h, com a prisão em flagrantes dos estelionatários, que chegaram usando uma caminhonete L200. A caminhonete foi apreendida pela polícia com suspeita de ser roubada e os tratores foram recuperados pela Polícia Civil. O primeiro trator foi localizado e apreendido no município de Juína.

De acordo com a delegada da DRFVA, Cleibe Aparecida de Paula, que preside as investigações, as máquinas seriam comercializadas pelo valor de mais R$ 70 mil cada. A delegada suspeita que os cheques usados no pagamento seriam do mesmo lote de talões e folhas avulsas de cheques roubados da empresa de entrega rápida Tammy, ocorrido no final do mês de dezembro do ano passado.

“Há suspeitas que os cheques sejam do mesmo lote. A polícia está levantando informações do lote roubado da empresa”, disse.

Na delegacia os estelionatários revelaram que os cheques foram adquiridos por R$ 40, a folha, de corretores da “pedra”. Os três têm passagens pela polícia por diversos crimes, entre eles estelionato, porte ilegal de arma de fogo, receptação e adulteração de sinais identificadores de veículos.

 

 
Índice de Notícia